quarta-feira, 1 de março de 2017

Na forca

Garoeiro – Natal, RN, 1º de março de 2017.

















Deuses mortos sobrevivem
Com poder muito mais forte,
Da crença que o mundo tem
Na vida depois da morte.

Existir sendo ninguém,
Infeliz de ingrata sorte,
É o povo que diz amém
Ao coelhante suporte.

Quando à vida o que convém
Desmente àquele transporte,
Pois a morte só faz bem
Ao que o bom da vida aborte.

Com só ser feliz no além,
Da miséria nos conforte,
Como pode crer alguém
Que é ele mesmo o seu norte?

Por isso, sou que se corte
A forca que nos sustém,
Nem amando a má consorte,
Nem sendo da morte refém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário