domingo, 26 de março de 2017

Esbagaçando...

Garoeiro – Natal, RN, 26 de março de 2017.










Esse sarcasmo que esbaldas
É o mesmo que condenar
Porque então enchia fraldas
O que acusas de roubar.

Teu veneno de serpente
Fará sempre mau julgado
Se condenar no presente
As condições do passado.

O que cada qual fazia
Lá naquela realidade
Prescinde, para autoria,
Da contextualidade.

Por costume habitual
Na época do ambiente,
Não pode haver bem nem mal
No feito do paciente.

No afã de moralizar
Padrões de régua e compasso
Tu vais tudo esbagaçar
Impondo teu erro crasso.

Teu falso rigor robusto
No fundo é reles pretexto
Para por processo injusto
Dares manso ao teu cabresto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário