terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Rebelião dos relógios

Garoeiro – Natal, RN, 7 de fevereiro de 2017.












Cansados do jogo imundo
Da abstrata marcação
Que há tanto tempo vigora,
Relógios de todo o mundo
Deflagram rebelião
No Grande Mercado afora.

Se o Tempo é um saco sem fundo
Que impõe a dominação
À Legião que labora,
Morra o Cronos oriundo
Por nossa subversão
No que sua essência explora.

Meu ponteiro vagabundo,
Na horária escravidão
Tarda o sentido que a escora,
Demorando o meu segundo
Seus minutos de montão,
Para enlouquecer a hora.

Donos do dano rotundo,
Galantes até então
Em seus reinos sem demora,
Já sem a prisão de fundo,
Iam depressa à prisão,
Em fuga da rubra aurora.

Gozando o novo profundo,
Do Espaço-revolução,
Vendo o Tempo ir embora,
O sonho humano fecundo
Dançava outra iniciação
Na grande festa senhora...

Nenhum comentário:

Postar um comentário