domingo, 5 de fevereiro de 2017

Minha solidão, por meus amigos...

Garoeiro – Natal, RN, 5 de fevereiro de 2017.














Em meio a tantas causas derrotadas,
Ser eu só na vida é o que mais humilha
Por solidária dor, meus camaradas,
Protegidos, no Reino da Família,
A lamentar que o fim das mil jornadas
Tornasse o meu mundo uma ilha,
E no porto das naves desprezadas,
Eu poetando alguma maravilha.

Se, porém, em solitária razão,
Quando o nexo pendura o casaco,
Y el frio en el alma diz quanto é vão
Viver tal teatro de enredo fraco,
Morrem de inveja desta solidão
Final do Garoeiro em seu barraco,
Feliz, sem nenhuma atrapalhação,
Tranquilo, sem tanta encheção de saco...

Nenhum comentário:

Postar um comentário