quarta-feira, 24 de maio de 2017

Liberados

Garoeiro – Natal, RN, 24 de maio de 2017.











O carnaval do nosso amor na cama
Era o baile febril das fantasias,
Em que ousadas demais pornografias
Iam bailando a excitação da trama.

Se um bailasse em devasso panorama
Abrindo as suas mais sujas ousadias,
O outro ia que o bom dessas orgias
Era fazer que mais ardesse a chama.

Em vez de amor de esposas com maridos,
Amávamos com gozos pervertidos
Num torneio feliz de perversão.

E o amor que a gente nunca achava feio,
Buscava no tesão que solta freio,
O prazer preso na liberação.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Passatempo na praia...

Garoeiro – Natal, RN, 23 de maio de 2017.













Claro sol queimando imenso,
Mas nada que me atraia,
Enquanto arde o que penso,
Caminhando pela praia...

O passado a que pertenço
Dá que o presente me caia
Sendo totalmente infenso
Ao desejo marambaia.

Ardendo no transe denso,
O gosto da vida ensaia
Prenúncio de anseio imenso
Num futuro de outra laia...

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Desenredo

Garoeiro – Natal, RN, 22 de maio de 2017.













Nada sei senão conceito,
Mas não consigo explicar
Quando na rede me deito,
O prazer de aqui deitar.

Não é meu corpo que ajeito
Com seu peso a descansar,
Talvez alma cujo leito
Preferido vai gozar.

A paz que domina o peito
Sai me fazendo sonhar,
E eu sinto um gosto perfeito
Que não sei conceituar.

E esse não saber direito,
Sabe o clima dominar:
Vem-me um sono rarefeito,
Insuspeito de enredar...

domingo, 21 de maio de 2017

Música

Garoeiro – Natal, RN, 21 de maio de 2017.













Saem do silêncio, soluçantes,
Sopros suaves, sedutores,
Que os ouve feito sons tocantes,
A alma dos compositores.

E os quer, plangendo a paz de antes,
Sob guizos afinadores,
Fazendo os silentes soantes,
Dissonarem-se em sons cantores... 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sinto vergonha de mim - Textos de: Cleide Canton e Ruy Barbosa - Com: Rolando Boldrin - 02.07.2007

Solipsista

Garoeiro – Natal, RN, 19 de maio de 2017.













Por querer amar me dando
Não pedi colher de chá
A ninguém que fui amando
Que amor bom é amor que dá.

Tanto gosto, então gozando,
Vale agora vida má:
De amor dado o retornando,
É bem pouco e olhe lá...

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Donde vêm as virtudes

Garoeiro – Natal, RN, 18 de maio de 2017.
[ Para o Amigo Gilberto, no seu aniversário! ]













Nossa mais linda aventura
É o milagre de nascer,
Tendo ali uma vida pura,
Inteirinha por viver.

Na berçosa gostosura
Começa-se a acontecer,
E a existência se inaugura
Na essência do prazer.

Mas tal êxtase só dura
Até o Tempo nos fazer
A racional criatura
Convidada a compreender.

A que o mundo captura
Na engrenagem de moer,
Que vai girando a impostura
Da obrigação de vencer.

O escravo da conjuntura
É feito o que tem que ser;
O deleite da doçura,
Obrigado a esquecer.

E a ventura nascitura,
Que ele nunca mais vai ter,
Fundamenta essa procura
Dos sonhos de bem-querer...