terça-feira, 28 de março de 2017

Soneto da Poesia

Garoeiro – Natal, RN, 28 de março de 2017.










Nessa fluência alegre de riacho,
Vertendo seus abonos a reboque,
À Poesia se anunciam em cacho,
As palavras, por gosto que as convoque.

Por enfocar de tal rastilho o facho,
Em que disputam o clarão que as foque,
Têm-nas, o Poeta, livres de penacho,
Formando, das mais lindas, seu estoque.

Em seu rio de amor vocabulário,
Um poeta ama as palavras dicionário,
Por elas respirando submerso.

O bom poema espelha essa aventura
Em que o amor do Poeta transfigura
A formosura da palavra em verso.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Na morte de mais outro ídolo...

Garoeiro – Natal, RN, 27 de março de 2017.











Só sendo o que é o ser não tem razão,
Porquanto a sua essência o contradiz,
Se do Nada as negações mais vis,
Impõem a tudo só destruição.

Existe o ser que é somente em vão,
Por mais que fugas sonhe em seus ardis,
Porque a lei da existência só condiz
Com a Suprema Lei da Negação.

É por isso que canto na viola,
Que tudo virar nada me consola,
Sob o consolo bom da caminhada.

Sem prejuízo de amargar a dor,
Ante o particular arrasador,
Do anjo excelente sucumbindo ao Nada!

domingo, 26 de março de 2017

Esbagaçando...

Garoeiro – Natal, RN, 26 de março de 2017.










Esse sarcasmo que esbaldas
É o mesmo que condenar
Porque então enchia fraldas
O que acusas de roubar.

Teu veneno de serpente
Fará sempre mau julgado
Se condenar no presente
As condições do passado.

O que cada qual fazia
Lá naquela realidade
Prescinde, para autoria,
Da contextualidade.

Por costume habitual
Na época do ambiente,
Não pode haver bem nem mal
No feito do paciente.

No afã de moralizar
Padrões de régua e compasso
Tu vais tudo esbagaçar
Impondo teu erro crasso.

Teu falso rigor robusto
No fundo é reles pretexto
Para por processo injusto
Dares manso ao teu cabresto...

sábado, 25 de março de 2017

Governabilidade

Garoeiro – Natal, RN, 25 de março de 2017.















Governabilidade é a grande trama
Dos que nós colocamos lá em cima,
Que nos convida a chafurdar na lama
Para que acordo alto nos redima.

Se contra ela alguma voz reclama,
Por querê-la no horror que nos vitima,
O governismo logo a difama
Com sua pragmática esgrima.

Só quem pelo mandato teve acesso
Pode julgar o jogo do Congresso,
É o heroísmo que nos oferecem.

Mas em prol da governabilidade,
Encaminham de modo que em verdade,
Só os próprios interesses prevalecem...

sexta-feira, 24 de março de 2017

Vivendo de amor

Garoeiro – Natal, RN, 24 de março de 2017.
[ Para a querida amiga, Maria Amélia... ]













Tudo, em si, sempre ao Nada é condenado,
Ser sendo, antes de desaparecer,
Que o bem do Nada é estar tudo acabado,
Pois ao que há dar fim é seu poder.

No Universo profundo mergulhado,
No Infinito nos dado a conhecer,
Não há o que se veja preservado,
A tempo, tudo estando a perecer.

Da terrível cabal condenação,
Só o Amor há de vir em salvação,
Que estando a amar o ser transcende o ser.

Tendo clareza da adversa Lei,
Vendo o Nada acabar tudo o que amei,
Hei de amar e fazer Amor vencer!

quinta-feira, 23 de março de 2017

Imperativo da brevidade

Garoeiro – Natal, RN, 23 de março de 2017.
[ Para: Betty Milan ]















Ousar a preparação
Para o ter de ir embora,
Requer predisposição
De renúncia ao que se adora.

O horror da desilusão
Porque tanta gente chora,
É a amada acumulação
Ter de ser deixada fora.

A integral dedicação
Ao sonho a juros de mora,
Rende coisas de montão
Num prazo de vida afora.

Não há, porém, um tempão
Que só para alguns vigora:
Um gozo tem duração
De menos de meia hora.

As urgências da Paixão,
Sejam, então, sem demora:
Dos desejos que virão,
O tempo começa agora!

quarta-feira, 22 de março de 2017

A cura

Garoeiro – Natal, RN, 22 de março de 2017.












Meu segredo de amor na relação,
Depois do mais do que perder a calma,
Era ir buscar remédio na paixão,
Deixando a cama nos curar do trauma
Pela fé nos milagres do colchão,
Naqueles beijos bons de corpo e alma...